Empresas sonâmbulas em direção a uma Crise de Recursos

Novas pesquisas internacionais do Carbon Trust revelam que as empresas não estão preparadas para uma crise global de recursos.

Business resource crunch

10 dezembro 2012

Os líderes das empresas listadas continuam despreparados para os efeitos de recursos naturais minguantes, de acordo com nova pesquisa do Carbon Trust.

O estudo, realizado entre 475 executivos sênior no Brasil, na China, na Coreia, no Reino Unido e nos EUA, mostra que muitos não estão preparados para enfrentar a questão da falta atualmente e acreditam que não precisarão fazer mudanças significativas nas operações de suas empresas para combater a escassez de recursos até 2018. A maiorias das empresas voltadas ao consumidor prevê que elas somente precisarão agir dentro dos próximo dez a quinze anos no mínimo, significando que elas podem não ter planos feitos para até 2025.

Descobriu-se que essa inação é generalizada, com 43% das organizações pesquisadas declarando que não monitoram os riscos de choques relacionadas ao meio ambiente às suas empresas, como aumentos nos preços da energia e desastres ambientais. Mais da metade (52%) não estabeleceu metas para gerenciar a redução de carbono, água ou resíduos.

Isso pode estar relacionado ao fato de que metade (47%) dos executivos acredita que agir em relação a questões de sustentabilidade como essas diminui os lucros – e apenas 13% da diretoria é remunerada por atingir a métrica da sustentabilidade. Porém, quando restrições de recursos se tornam uma realidade, 60% das organizações acham que o custo de seus produtos e serviços precisará aumentar, 55% que eles precisarão participar de menos mercados e 43% que eles terão uma oferta de serviço ou produto menos variada.

Tom Delay, Diretor Executivo do Carbon Trust, diz: “A pesquisa mostra que muitas organizações estão “adormecidas ao volante” quando se trata de abordar sustentabilidade e escassez de recursos, não fazendo nada para tratar do problema que eles indicam que poderia atingir suas operações até 2018. Com muita frequência, as empresas estão agindo em relação a questões de recursos e sustentabilidade como uma obrigação e um custo. Sabemos por nossa extensa experiência de trabalho com carbono que o bom gerenciamento de recursos pode levar a novas oportunidades comerciais e a empresas prósperas. Atualmente, muitas organizações parecem aceitar que terão de fazer mudanças significativas em suas empresas devido à escassez de recursos, e que essas mudanças poderão causar impacto em seus lucros. Mas muitas estão sonâmbulas em direção a uma crise de recursos”.

Entretanto, ainda existe uma esperança para as empresas no Reino Unido, que atualmente estão melhor posicionadas para lidar com um mundo de recursos restritos. Elas gastam mais em sustentabilidade e têm maior probabilidade de ter um programa com metas e práticas relatadas funcionando. Também têm mais confiança de que existe um caso comercial no que tange a gerenciar e reduzir as emissões de carbono, água e resíduos. As empresas brasileiras são as que apresentam menor probabilidade de ter um programa de sustentabilidade, com 51% dizendo que não possuem um atualmente, comparado a 13% no Reino Unido. Uma razão fundamental para isso é o investimento, pois 76% das empresas pesquisadas no Brasil declaram que não podem pagar pelo investimento necessário, comparado a 31% em todos os países pesquisados.

Delay continua, dizendo: “as empresas listadas no Reino Unido estão melhor posicionadas do que a maioria para a crise iminente de recursos – isso poderia significar que, apesar da atual mudança na ordem econômica mundial, o Reino Unido obterá oportunidades comerciais, à medida que competidores em outros mercados lutam para lidar com um mundo restrito em recursos?”

O estudo também revela um grande abismo entre enfoques de organizações de empresa para empresa (B2B) e empresas voltadas ao consumidor em relação à sustentabilidade e a quando elas esperam sentir o impacto de restrição de recursos. Enquanto empresas voltadas ao consumidor estimam que, em média, isso acontecerá dentro de dez anos, as organizações B2B preveem que precisarão agir dentro de quatro anos. Devido a essa divisão na urgência em agir, talvez não seja surpreendente que 54% das organizações voltadas ao consumidor pesquisadas não possuem um programa de sustentabilidade, comparado a apenas 19% das empresas B2B. Um terço (33%) das empresas voltadas ao consumidor admitem que não têm absolutamente nenhum plano de introduzir um programa de sustentabilidade.

Em todas as organizações pesquisadas, parece que a sustentabilidade está muito distante de ser integrada dentro da sala de reunião do conselho. O dinheiro para a sustentabilidade fica na pauta do conselho de administração em apenas 4% das organizações pesquisadas. Um quarto (25%) dos que responderam até mesmo declaram que ninguém é responsável ou culpável pela sustentabilidade dentro da empresa.

Leia o relatório (English): Opportunities in a resource constrained world: How business is rising to the challenge

Notas aos editores

Metodologia

Vanson Bourne realizou a pesquisa por telefone com 475 executivos de nível C vindo de várias funções dentro de um número abrangente de setores. As entrevistas foram realizadas durante outubro de 2012.

Sobre Vanson Bourne

Vanson Bourne, uma consultoria especializada baseada em pesquisas, realiza pesquisas com usuários quantificáveis oferecendo uma análise robusta e crível baseada em pesquisas. A empresa entrevista tomadores de decisão sênior de uma variedade de funções, entre uma ampla gama de setores, em organizações desde a mais pequena até a maior, em mercados de todo o mundo. Os clientes da Vanson Bourne variam de start-ups a empresas bem-conhecidas.

Sobre o Carbon Trust:

O Carbon Trust é uma empresa independente com a missão de acelerar a mudança para uma economia sustentável, de baixo carbono. O Carbon Trust:

  • Assessora empresas, governos e o setor público sobre oportunidades em um mundo sustentável, de baixo carbono.
  • Mede e certifica a pegada ambiental de organizações, produtos e serviços.
  • Ajuda a desenvolver e utilizar tecnologias e soluções de baixo carbono, desde eficiência energética até energia renovável.

Para obter mais informações, contate a assessoria de imprensa do Carbon Trust no telefone +44 (0) 20 7170 7050 ou no e-mail press@carbontrust.com.

Como alternativa, visite o site www.carbontrust.com.

Voltar ao topo